Notícias

Liga de cobre e níquel ajudam a reduzir o consumo de energia de smartphones #cobreenergia


Em Barcelona, na Espanha, pesquisadores desenvolveram um novo tipo de material com estrutura similar a de uma esponja (nanoesponja), que consiste em uma liga metálica de cobre e níquel, e é capaz de reduzir o gasto energético de dispositivos eletrônicos como smartphones e computadores.

A nova criação efetuada pelos pesquisadores da Universidade Autônoma de Barcelona, em conjunto com o Instituto Catalão de Nanociência e Nanotecnologia (ICN2), é nanoporoso, e estruturalmente como uma esponja, que possibilita manipular e registrar informações com um baixíssimo gasto energético.

Jordi Sort, professor do Departamento de Física da UAB, explica que nas nanoesponjas podem ser a base de novas memórias magnéticas nos eletrônicos. Ele ressalta que atualmente, para registrar as informações nas memórias dos equipamentos, os pequenos domínios magnéticos dos materiais atuam como imãs, que são orientados através de campos magnéticos, estes são produzidos através de correntes elétricas que aquecem o material provocando gastos de energia.

No ano de 2007, cientistas franceses verificaram que quando matriais magnéticos estão sobrepostos em camadas ultrafinas e uma voltagem é aplicada sobre eles a quantidade de gasto energético necessário para a orientação dos domínios magnéticos reduzia em em aproximadamente 4%.

Atualmente, a equipe dirigida por Jordi Sort, divulgou que o novo material desenvolvido consiste em camadas nanoporosas de uma liga metálica de cobre e níquel, agrupadas de maneira que em seu interior se formem fissuras similares as de uma esponja. Desta maneira, nas paredes dos poros restará espaço somente para algumas dezenas de átomos.“Os nanoporos em seu interior oferecem grande quantidade de superfície. Com esta imensa superfície concentrada em um espaço muito pequeno, podemos aplicar a voltagem de uma pilha e diminuir enormemente a energia necessária para orientar os domínios magnéticos e registrar os dados”, detalhou Sort.Os primeiros protótipos de memórias magnéticas nanoposoras, baseadas na liga de metais de cobre e níquel, tiveram resultados muito satisfatórios, pois conseguiram reduzir em 35% o gasto energético necessário para reorientar os domínios magnéticos e registrar dados.“Implementar este material nas memórias dos computadores e dispositivos móveis teria muitas vantagens, principalmente uma economia direta no consumo elétrico dos computadores e um aumento considerável na autonomia dos dispositivos móveis”, concluiu Sort.

Como sabemos o cobre é um ótimo condutor de eletricidade estando presente em diversos equipamentos  utilizados na geração elétrica limpa, como fios e cabos, geradores, componentes elétricos e eletrônicos, entre outros. Suas propriedades melhoram a eficiência dos produtos, contribuem para a miniaturização das peças e abrem caminho para novos processos e tecnologias.

Para saber mais sbre a utilização do cobre na tecnologia acesse: http://procobre.org/pt/aplicacoes/tecnologias-modernas/

Fonte – http://exame.abril.com.br/ciencia/cientistas-criam-material-capaz-de-reduzir-consumo-de-energia/